sexta-feira, 25 de maio de 2012


Os Melhores do Mundo Noticias Populares

Melhores do Mundo - Hermanoteu na Terra de GODAH


RECEITUÁRIO


De que fel  preparava
As poções que servia?
O papel que rasgava
Era eu que escrevia?
De que erva era o chá
Que o bule fervia?
De que águas o mar
Que cortava de fria?
De que sal o tempero
Que azedava meu dia?
De que fogo o luar
Que furioso latia?
De que medos a tarde
Que mastigava e mordia?
De que arte marcial
O furor apreendia?
De que livro infernal
As lições, consumia?
De que bem, de que mal
Se chorava, se ria?
De que torvo quintal
Suas flores colhia?

AUTOR: Reynaldo Jardim

Joseph Climber - Completo

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Relax piano

SOM DOS PASSAROS (2 HORAS) - PARA DORMIR E RELAXAR

DITADURA MILITAR BRASILEIRA

BRASIL, GUERRILHA E TERROR - A Verdade Escondida.

Buster Keaton in THE HAUNTED HOUSE (1921) -- Part 1 of 3

O rival do Charles Chaplin no cinema mudo

Smile Charlie Chaplin - Michael Jackson - Legenda em portugues

ATENÇÃO ALUNOS!!!

Sábado, dia 26 e domingo, dia 27, último final de semana para ir ao teatro. Qualquer dúvida, me procurem na escola.
gto JOSÉ JORGE - 24 DE MAIO DE 2012

quarta-feira, 23 de maio de 2012

City Lights - Charlie Chaplin - 1931 restored (en/ru sub) - Огни большог...

O Grande Ditador - LEGENDADO

O INCRÍVEL EXÉRCITO DE BRANCALEONE

A Vida de Brian

Tiempos Modernos Charles Chaplin filme completo

Lixo Extraordinario Documentário - Filme Completo

Ilha das Flores Completo Melhor Resolução

Rock'N'Roll Soniye -Kabhi Alvida Naa Kehna(HD)720P

Bollywood - MahiVe.avi

A Cultura Indiana

A India que a Globo não mostra.

India, seu povo, seus costumes, suas tradições

Cultura Indiana - Trabalho De História

PRECONCEITO GLOBAL!!!Luiz Carlos Prates: qualquer miserável agora tem carro

Inscrições abertas para o Programa Senac de Gratuidade

Inscrições abertas para o Programa Senac de Gratuidade

SEM NOÇÃO!!!



Há dias que nada digo. só posto!! Queria, agora, fazer um poema, desfazer dilemas, deixar a mente zen, a espinha ereta, o coração tranquilo...
Porém, nessa crise de criatividade, só me soma a falta de idéias.

o dia que já se desenha em cantos de pássaros
me traz o abraço
dos compromissos.

e, sem idéias, sem nada que valha,
deixo esse traço, essas letras,
juntadas, não ao acaso,
nesse espaço

(Ghezo - 23 05 2012) 04h27

Som da Chuva - Para Dormir e Relaxar (2 horas)

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Professor da Rede Pública

O menino que não gostava de ler

MENINA BONITA DO LAÇO DE FITA.wmv

A MENINA QUE ODIAVA LIVROS

Pedagogia: Cotidiano Escolar

Desenhos (quase) Proibídos

Comissão Nacional da Verdade


Comissão Nacional da Verdade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Comissão Nacional da Verdade
Fundação18 de novembro de 2011
PropósitoInvestigar violações de direitos humanosocorridas entre 1946 e 1988 no Brasil
Membros2012–2014:
PresidenteNão tem[1]
Comissão Nacional da Verdade é o nome de uma comissão brasileira que visa investigar violações de direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988 no Brasil[2] por agentes do estado.[3]Essa comissão será formada por sete membros nomeados pela presidente do Brasil Dilma Rousseff, que atuarão durante dois anos, sendo que no final desse período, publicarão um relatório dos principais achados, que poderá ser público ou poderá ser enviado apenas para o presidente da república ou o ministro da defesa.[4] A lei que a institui foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff em 18 de novembro de 2011[2][5] e foi instalada oficialmente em 16 de maio de 2012.[6]
A comissão terá o direito de convocar vítimas ou acusados das violações para depoimentos, ainda que a convocação não tenha caráter obrigatório e também a ver todos os arquivos do poder público sobre o período, mas não terá o poder de punir ou recomendar que acusados de violar direitos humanos sejam punidos.[4] A comissão deverá colaborar com as instâncias do poder público para a apuração de violação de direitos humanos, além de enviar aos órgãos públicos competentes dados que possam auxiliar na identificação de restos mortais de desaparecidos.[7]Também identificará os locais, estruturas, instituições e circunstâncias relacionadas à prática de violações de direitos humanos e também eventuais ramificações na sociedade e nos aparelhos estatais.[4]
A comissão, proposta em 2010, passou por diversas mudanças, principalmente para atender as queixas dos militares. O termo "repressão política" foi retirado do texto, a comissão atual prevê o "exame" de violações de direitos humanos, diferente da versão de 2010, que previa a "apuração" e além de englobar fatos ocorridos durante o regime militar no Brasil, que ocorreu ente 1964 e 1985, englobará fatos que ocorreram entre os anos de 1946 e 1988.[4]

Índice

  [esconder

[editar]Formação da comissão

No dia 10 de maio de 2012, foi anunciada pela presidente Dilma Rousseff, a lista de sete pessoas que integram a comissão:[8]

[editar]Manifestações

[editar]Apoio

O ex-presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso defendeu a instauração da Comissão e na data de 15 de maio de 2012 defendeu que ela deveria apurar apenas os crimes cometidos pelo Estado durante o período militar, e não eventuais crimes cometidos por opositores do regime, como defendem militares da reserva.[9][10]
Segundo Fernando Henrique Cardoso, a Comissão da Verdade não é uma questão política ou de governo:[11]
É uma questão de EstadoEla fez bem e reconheceu. Não é uma questão política, é uma questão de cidadania, de democracia. Com isso, ela motiva a comissão a agir pensando no Brasil.[11]
Foi realizado um manifesto em favor da Comissão que reuniu assinaturas de mais de 250 artistas e intelectuais de renome internacional e nacional, incluídos entre eles Noam ChomskyJosé FogaçaCaetano VelosoCelso Antônio Bandeira de Mello,Marcos Palmeira e Gilberto Gil.[12][13]
Conselho Mundial de Igrejas apoiou, no Brasil, a criação da Comissão da Verdade, para apurar os crimes cometidos durante a ditadura militar.[14][15]
A instauração da Comissão também é apoiada por muitos setores da sociedade civil brasileira, como juízes,[16] engenheiros(inclusive como forma de homenagem a Rubens Paiva),[17] educadores,[18] advogados (por meio da OAB nacional)[19] e cineastasbrasileiros.[20]
Human Rights Watch também divulgou carta apoiando a instauração da Comissão.[21]

[editar]Críticas

As críticas são variadas. Ativistas defensores da investigação das violações dos direitos humanos alegam que a comissão, sem o direito de punir, não colaborará para que se faça justiça. Alguns militares e policiais queixam-se de não terem representantes e temem que a comissão não dê o devido peso a crimes cometidos por organizações de esquerda e afirmam que a comissão pode "reabrir feridas" na sociedade brasileira. Alguns analistas dizem que dois anos é um tempo muito curto e o número de integrantes é baixo e por isso não concluirá de modo satisfatório as investigações.[4]
Outra crítica é que a comissão é parcial e que deveria levar em conta o contexto da época do regime militar[3] e que a comissão, do jeito que está organizada, é simplesmente revanchista.[22]

Referências

  1.  Comissão da Verdade anuncia que não terá presidente. Agência Brasil. Página visitada em 19 de maio de 2012.
  2. ↑ a b Com Lei do Acesso à Informação e Comissão da Verdade, Brasil avança na consolidação da democracia. Blog do Planalto (18 de novembro de 2011). Página visitada em 18 de novembro de 2011. "O governo brasileiro deu hoje (18) um significativo passo [...]. Numa cerimônia concorrida, a presidenta Dilma Rousseff sancionou [...] a lei que institui a Comissão Nacional da Verdade, que vai apurar violações aos direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988, período que inclui a ditadura militar."
  3. ↑ a b Comissão da Verdade deve apurar somente agentes do Estado. Página visitada em 18 de maio de 2012.
  4. ↑ a b c d e Entenda como atuará a Comissão da Verdade. IG/BBC Brasil (21 de setembro de 2011). Página visitada em 11 de novembro de 2011.
  5.  Dilma Rousseff sanciona lei que cria Comissão da VerdadeBrasil Econômico (18 de novembro de 2011). Página visitada em 18 de novembro de 2011. "A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta sexta-feira (18/11) a lei que cria a Comissão da Verdade para apurar violações aos direitos humanos ocorridas entre 1946 e 1988, período que inclui a ditadura militar. [...] A Comissão da Verdade será formada por sete pessoas, escolhidas pela presidente da República a partir de critérios como conduta ética e atuação em defesa dos direitos humanos. Ao todo, 14 servidores darão suporte administrativo aos trabalhos. O grupo terá dois anos para ouvir depoimentos em todo o país, requisitar e analisar documentos que ajudem a esclarecer as violações de direitos. De acordo com o texto sancionado, a comissão tem o objetivo de esclarecer fatos e não terá caráter punitivo. O grupo vai aproveitar as informações produzidas há quase 16 anos pela Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos e há dez anos pela Comissão de Anistia."
  6.  Dilma anuncia integrantes da Comissão da Verdade. Agência Brasil. Página visitada em 19 de maio de 2012.
  7.  ALOYSIO NUNES FERREIRA. Relatório da Comissão Nacional da Verdade. Site do Senado. Página visitada em 19 de maio de 2012.
  8.  Quem é quem na Comissão da Verdade. Página visitada em 12 de maio de 2012.
  9.  FH defende apuração apenas de crimes cometidos pelo Estado. G1 (15 de maio de 2012). Página visitada em 17 de maio de 2012.
  10.  FH defende apuração apenas de crimes cometidos pelo estado. Yahoo! (15 de maio de 2012). Página visitada em 17 de maio de 2012.
  11. ↑ a b Lula vê 'passo estupendo', e FHC diz que Dilma 'fez bem' ao criar comissão. G1 (16 de maio de 2012). Página visitada em 17 de maio de 2012.
  12.  Artistas e intelectuais manifestam apoio à Comissão da Verdade. UOL (21 de setembro de 2011). Página visitada em 18 de maio de 2012.
  13.  Discursos e Notas Taquigráficas. Câmara dos Deputados (21 de setembro de 2011). Página visitada em 18 de maio de 2012.
  14.  CMI apoia constituição da Comissão da Verdade. O Caminho (dezembro de 2011). Página visitada em 18 de maio de 2012.
  15.  Conselho Mundial de Igrejas apoia Comissão da Verdade no Brasil. Rainha da Paz (15 de novembro de 2011). Página visitada em 18 de maio de 2012.
  16.  Juízes manifestam apoio à Comissão da Verdade. Ajuris. Página visitada em 18 de maio de 2012.
  17.  Engenheiros reforçam apoio à Comissão da Verdade e homenageiam Rubens Paiva. Jornal do Brasil (3 de abril de 2012). Página visitada em 18 de maio de 2012.
  18.  CNTE apoia instalação da Comissão da Verdade. CNTE (17 de maio de 2012). Página visitada em 18 de maio de 2012.
  19.  Comissão da Verdade: OAB propõe maior prazo para investigar violações. OAB (18 de maio de 2012). Página visitada em 18 de maio de 2012.
  20.  Cineastas fazem manifesto em defesa da Comissão da Verdade. Folha.com (6 de março de 2012). Página visitada em 18 de maio de 2012.
  21.  Human Rights Watch divulga carta apoiando Comissão da Verdade, que será instalada hoje. UOL (16 de maio de 2012). Página visitada em 18 de maio de 2012.
  22.  Comissão da Verdade é revanchismo, diz vice-presidente do Clube Militar do Rio. Agência Brasil. Página visitada em 19 de maio de 2012.

Direitos humanos no Brasil


Direitos humanos no Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
A questão dos direitos humanos no Brasil é delicada. A situação foi precária durante toda a ditadura militar (1964-1985) e se mantém até hoje; alguns dizem que por consequência direta desta. Entre os abusos mais comuns estão tortura ou excesso de força policial e execuções sumárias. O massacre do Carandiru (1992) é considerada a maior violação dos direitos humanos na história recente do país, tendo vitimizado 111 detentos do Presídio de Carandiru.

Índice

  [esconder

[editar]Direitos dos presos

O sistema penitenciário é considerado falido há algum tempo. O ex-Ministro da JustiçaTarso Genro, declarou que "o sistema penitenciário em geral está falido".[1]
A maioria das prisões estão lotadas e não oferecem as condições de higiene mínima adequada aos detentos. Estupro na prisão eespancamentos por agentes penitenciários não são um fato isolado. Com mais de 400 mil detentos no sistema, o Brasil possui a segunda maior taxa de população carcerária da América do Sul, perdendo apenas para o Chile.[2] Além disso, existem mais de 13,4 mil adolescentes detidos em centros de detenção para menores, de acordo com o Ministério da Justiça. As condições dos detentos menores de idade não são melhores, como revelou o último relatório da Anistia Internacional sobre o Brasil, que cita casos de espancamento de detentos da Fundação CASA (SP) e a morte por espancamento de um jovem de 17 anos detido no DEGASE(RJ).[3]
O caso de uma adolescente estuprada por homens numa cela, ocorrido no final de 2007 em uma delegacia do município deAbaetetuba, no estado do Pará, trouxe à tona as condições precárias do sistema carcerário brasileiro. Um outro caso, de dois suspeitos de roubo espancados na virilha por policiais militares do 4o Batalhão de Picos, no Piauí, mereceu o destaque da mídialocal.[3] Alguns veículos de imprensa chegaram a publicar as fotos do exame de corpo de delito dos jovens.[4] Mais recentemente, foi divulgado um vídeo de agentes prisionais espancando um acusado de matar sete pessoas da mesma família[5] na Paraíba. O diretor do presídio acabou sendo afastado.[6]

[editar]Direitos das mulheres e das crianças

Apesar de avanços legais como a Lei Maria da Penha, o Brasil ainda possui altos índices de violência doméstica, tanto contracrianças quanto contra mulheres. As principais causas são alcoolismo e vício em drogas, além de pobreza e baixa escolaridade. As mulheres de baixa renda que sofrem com o problema têm acesso limitado à Justiça. O contato com o sistema de justiça criminal muitas vezes resulta em maus-tratos e intimidações. Estatísticas divulgadas pelo Departamento Penitenciário Nacional em 2008 indicaram aumento de 77% na população carcerária feminina nos últimos oito anos – uma taxa de crescimento maior do que a masculina. As mulheres detentas enfrentam maus-tratos, serviços inadequados durante o parto e falta de condições para cuidar das crianças.[3]
Muitas crianças, por sua vez, estão expostas à condição de marginalidade nas vias públicas, sendo vítimas fácil de drogas baratas como o crack e da prostituição infantil. A violação mais notória a esse vulnerável grupo foi o massacre da Candelária (1993).

[editar]Direitos dos povos indígenas

Os povos indígenas do Brasil são vítimas de assassinatos, intimidações, discriminação e expulsões forçadas. Atrasos em decisões judiciais contribuíram para a persistência da violência contra os indígenas. Após sua visita ao Brasil, em agosto de 2008, o relator especial da Organização das Nações Unidas sobre povos indígenas criticou "a persistente discriminação à elaboração de políticas públicas, à prestação de serviços e à administração da Justiça" que "contagiou setores da sociedade e provocou episódios de violência".[3]
Os eventos mais recentes de violência contra os índios inclui o confronto pela homologação da Reserva Raposa Serra do Sol, no estado de Roraima, e o assassinato de Mozeni Araújo de Sá, um líder indígena do povo Trucá, em Cabrobó, no Pernambuco.[3]

[editar]Violência no campo

O Brasil possui um grande problema de distribuição de terras agricultáveis. Uma minoria da população controla a maioria dessas áreas. Foi nesse contexto que surgiu o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, que ficou conhecido mundialmente a partir do massacre de Eldorado dos Carajás (1996) no Pará. Não é raro os membros do movimento se envolverem em coflitos comjagunços pela posse de terras. O movimento está enfrentando uma tentativa de criminalização da promotoria do estado do Rio Grande do Sul.[3]

[editar]Ver também

PortalA Wikipédia possui o
Portal do Brasil