quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Novos Tempos


COETANEIDADE

Fecha-se, á minha frente,
a estrada.
tudo são dúvidas
nos meandros de minha dor.

(Quem me dera, o dom da racionalidade!)

Desfocado, Abro mão,
digo não,
sigo incerto
insone
poético,
acreditando no amor.
(Ghezo) 24.11.2011 – 02h16

A ESCRAVIDÃO NO BRASIL EM FOTOS REAIS INÉDITAS

África - uma história rejeitada

alunos no teatro

ALGUMA COISA ESTÁ FORA DA ORDEM!!!!


Alguma coisa está errada, num país onde, aos 20 anos, jovens nunca foram ao cinema, ao teatro e a escola é um espaço dolorido; alguma coisa está errada quando, num grupo de 150 alunos, 120  e os outros 20 foram levados, num semestre, pelo Professor, em um projeto pessoal; alguma coisa está errada em uma sociedade onde drogas estão nas esquinas e a música, o teatro, o cinema, o livro, o gibi, os conceros, não estão ao alcance. QUE VIVA O ESPAÇO SEMENTE! QUE VIVA O CED 07! QUE VIVA O C.G., ONDE PROFESSORES ESTÃO TENTANDO LEVAR CIDADANIA, AO LEVAR ALUNOS AO TEATRO. Ainda restam Esperanças! E essas passam  pelas escolas!

Teatro - primeiro semestre 2011

Semente companhia de teatro.

Desenho de aluno- artista










































Posted by Picasa

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

DESABAFO CALANGO!


DESABAFO DE UM CALANGO ORGULHOSOAO LER O CENSO 2011.
Que viva, vibre, espie, olhe, veja, curta e se orgulhe, o povo da região Centro-Oeste que, pela primeira vez na História desse país, desbancou o sudeste em trabalho e poder econômico, apesar da histórica ausência de igualdade às acessibilidades educacionais, econômicas e que tais, que, grosso modo, não difere das regiões Norte e Nordeste, sempre relegadas a quase nada.
 O que, dirão, agora, os preconceituosos que nunca gostaram do centro-oeste, do norte e do nordeste, ao lerem, verem, descobrirem, que Brasília, Goiás, Tocantins e Mato Grosso, de cima e de baixo, também produzem e muito, para a riqueza desse país? Riqueza que só agora, começa a tímidamente chegar ao povo que sempre a construiu?
 Somos todos brasileiros! Somos mesmo?!
Na verdade, esse questionamento é um desabafo questionando os que desejam que nordestinos morram afogados, que nortistas morram aos tiros, que centro-oestinos se resumam aos corruptos que estão na política e foram eleitos para virem ao Distrito Federal alguns dias no ano.
Nós, o povo, Temos mais! É só ler o CENSO 2010 e verão que o Brasil é maior que os preconceitos. MUITO MAIOR!!!!

Morte e Vida no Semente









Posted by Picasa

Atores do Semente







































Posted by Picasa

A verdadeira historia do rapper Dino Black

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

sobre o dia de hoje, sexta-feira, 11 do 11 de 11.



CAPICUA e PALÍNDROMO
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. - Capicua (origem catalã: "cap i cua", cabeça e cauda) ou número palíndromo é um número (ou conjunto de números) cujo reverso é ele próprio.[1] O mesmo pode ser dito em relação a datas e as horas. É um tipo de Escrita constrangida.

Alguns exemplos numéricos:
5 (todo número de n dígitos iguais é capicua).
11
242
20002
1455665541
324567765423
123456789987654321
135792468864297531
123456789135792468864297531987654321
Capicuas com 3 dígitos
101 202 303 404 505 606 707 808 909
111 212 313 414 515 616 717 818 919
121 222 323 424 525 626 727 828 929
131 232 333 434 535 636 737 838 939
141 242 343 444 545 646 747 848 949
151 252 353 454 555 656 757 858 959
161 262 363 464 565 666 767 868 969
171 272 373 474 575 676 777 878 979
181 282 383 484 585 686 787 888 989
191 292 393 494 595 696 797 898 999

Técnicas de obtenção - Uma técnica de obtenção de números capicuas é pegar-se um determinado número, inverter a ordem de seus dígitos e somar o número obtido ao número original, obtendo um novo número e repetindo-se este processo até obter um número capicua.
 Exemplos: Tendo-se 84, invertendo-se obtem-se 48. 84+48=132; 132+231=363.
Tendo-se 3716, invertendo-se obtem-se 6173. 3716+6173=10189; 10189+98101=108290; 108290+92801=201091; 201091+190102=391193.
[editar]Datas

Às 20 horas e 02 minutos do dia 20 de fevereiro do ano 2002 ou, em marcação digital: 20:02 20/02 2002 ou em qualquer outra ordem, como ano, dia, mês, hora: 2002 20/02 20:02.
Dividindo tudo por 2, encontramos outro momento as 10:01 do dia 10 de janeiro de 1001, há mais de mil anos atrás. A última ocasião em que teria ocorrido tal padrão simétrico teria sido às 11:11 do dia 11 de novembro de 1111. Além disto, naquela época o calendário vigente era o Juliano e não o Gregoriano que adotamos atualmente desde 1585. Por isso fica difícil precisar quando exatamente teria ocorrido uma situação semelhante, um tanto de trás para frente como de frente para trás.
Quarta-feira, dia 20 de fevereiro de 2002 foi uma data histórica. Durante um minuto, houve uma conjunção de números que somente ocorre duas vezes por milênio.
Essa conjugação ocorreu exatamente às 20 horas e 02 minutos de 20 de fevereiro do ano 2002, ou seja, 20:02 20/02 2002.
Uma primeira simetria em marcação digital incluindo os segundos (HH:MM:SS) exigiria um ano de 6 dígitos, cujo primeiro será o ano 100.000. Por simetria, a hora seria 00:00:01, e o primeiro dia que gera um mês "mínimo" (sempre janeiro) seria o dia 10, de onde teríamos: 00:00:01 10/01 100000.
2011 ocorreu em 11/02/2011 11:02:20.11 um palíndromo.

Simetria em relação a matemática - É uma simetria que na matemática é chamada de capicua (algarismos que dão o mesmo número quando lidos da esquerda para a direita, ou vice-versa). A raridade deve-se ao fato de que os três conjuntos de quatro algarismos são iguais (2002) e simétricos em si (20:02, 20/02 e 2002).
No milênio passado ocorreu às 11h11 de 11 de Novembro do ano 1111, formando a data 11h11 11/11/1111. Já ocorreu às 20h02 no dia 20 de fevereiro de 2002. E a próxima vez será somente às 21h12 de 21 de dezembro de 2112 (21h12 21/12/2112).
Irão ocorrer novas capicuas, como por exemplo ás 21h21 do dia 12 de Dezembro de 2222, se formarmos a data da seguinte forma: 12/12/2222 ás 21h21, e assim sucessivamente, alterando o dia e mês para 01,02,10 e 11 e a respectivamente a hora para 10,20,01 e 11 e mantendo o ano para se dar a simetria.



Palíndromo
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
O Quadrado Sator é um dos exemplos mais conhecidos de palíndromos.
Um palíndromo é uma palavra, frase ou qualquer outra sequência de unidades (como uma cadeia de ADN; Enzima de restrição) que tenha a propriedade de poder ser lida tanto da direita para a esquerda como da esquerda para a direita. Num palíndromo, normalmente são desconsiderados os sinais ortográficos (diacríticos ou de pontuação), assim como o espaços entre palavras.
A palavra "palíndromo" vem das palavras gregas palin ("para trás") e dromos ("corrida, pista").
Rômulo Marinho, veterano palindromista brasileiro, propõe classificar os palíndromos em:
Expliciti - trazem sempre uma mensagem direta, clara e inteligível, como "Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos” (palíndromo de autoria anônima, provavelmente o mais conhecido em língua portuguesa).
Interpretabiles - têm coerência, mas requerem esforço intelectual do leitor para serem entendidos, como "A Rita, sobre vovô, verbos atira."
Insensati - cuidam apenas de juntar letras ou palavras sem se preocupar com o sentido, como "Olé! Maracujá, caju, caramelo."
As frases formando um palíndromo também são chamadas de anacíclicas, do grego anakúklein, significando que volta em sentido inverso, que refaz inversamente o ciclo.

Escrever literatura em palíndromos é um exemplo de escrita constrangida.
Exemplos de frases
Socorram-me, subi no onibus em Marrocos
Anotaram a data da maratona
Assim a aia a missa
A droga da gorda
Assam a massa
A torre da derrota
Saudável leva duas



1111
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Eventos: o que aconteceu, na História européia, no ano um mil cento e onze?
·         Conferência de Palência, em que D. Urraca reparte os seus Estados com D. Teresa e D. Henrique.
·         D. Henrique, desenganado da boa-fé de D. Urraca, que entretanto fizera as pazes com o rei de Aragão, vai cercar os soberanos em Sahagún, ajudado pelo partido de D. Afonso Raimundes.
·         Revolta em Coimbra de moçárabes, liderada por Martim Moniz, contra a autoridade do conde D. Henrique, que aceita as principais reivindicações dos antigos dirigentes moçárabes sublevados concedendo o foral a Coimbra, que foi o primeiro a estabelecer os direitos e as obrigações dos munícipes.
·         Tomada de Santarém pelos mouros.
·         Afonso VII de Leão e Castela é novamente proclamado rei.
Um raro acontecimento matemático, um minuto palíndromo, no dia 11 de Novembro de 1111, às 11:11. O próximo minuto palíndromo só aconteceria no dia 20 de fevereiro de 2002, às 20:02 (11/11/1111 11:11 e 20/02/2002 20:02)e o próximo só acontecerá no dia 21 de dezembro de 2112 (21/12/2112 21:12).
Este acontecimento épico e raro, como em 11/11/1111 ás 11:11:11 horas, será repetido pela ultima vez a nível mundial, no dia 21/12/2112 ás 21:12 horas. Um momento que deverá ser celebrado mundialmente.

Mortes
Gomez Gonzalez foi Governador de PancorboEspanha e Porta-estandarte real. Nasceu em 1050.
·         Gilberto I de Gévaudan n. 1055, Senhor de Millau e de Gevaudan e Conde consorte da Provença.
·         5 de Outubro - Roberto II da Flandres, foi conde da Flandres desde 1093 até à sua morte, n. 1065.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Gabão


GABÃO - CIDADE MAIS POPULOSA LIBREVILLE - LÍNGUA OFICIAL: FRANCÊS – Governo: República semipresidencialista - Presidente   Ali Bongo - Primeiro-ministro: Paul Biyoghé Mba - Independência da França -- Data            17 de agosto de 1960 (51 anos) -Área        - - Total         267 668 km² (75.º)  - Água (%)            3,7 - Fronteira           Guiné- equatorial, Camarões (N), e República do Congo - -População - Estimativa de 20081 485 832 hab. -  - Densidade         5 hab./km² (194.º) - PIB (base PPC)            Estimativa de 2007 -  - Total   US$ : 20,178 bilhões (111.º)  - Per capita   US$: 14,083 (53.º) - Indicadores sociais      - IDH (2010)   0,648 (93.º) – médio[2] -  Esperança de vida       56,7 anos (161.º)  - Mort. infantil   53,8/mil nasc. (140.º) -  - Alfabetização 84,0% (111.º) – Moeda: Franco CFA (XAF) - Fuso horário            (UTC+1) -  - Verão (DST)       não observado (UTC+1) - Clima  Tropical

O Gabão, oficialmente República Gabonesa, é um país africano, limitado a norte pelo território de Rio Muni (Guiné Equatorial) e pelos Camarões, a leste e a sul pelo Congo e a oeste pelo Oceano Atlântico e pelo Golfo da Guiné, por onde é vizinho próximo de São Tomé e Príncipe e da ilha de Pagalu (Guiné Equatorial). Anteriormente uma colônia francesa, o Gabão se tornou independente em 1960. A capital e maior cidade é Libreville.[3]
Desde sua independência da França em 17 de agosto de 1960, o Gabão tem sido governado por apenas três presidentes. No início de 1990, o Gabão introduziu uma nova e democrática constituição que permitia a um processo eleitoral transparente. Gabão é também um membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas no período 2010-2011. A pequena densidade populacional, juntamente com abundantes recursos naturais e investimentos privados estrangeiros têm ajudado a fazer do Gabão um dos países mais prósperos da região, com o maior IDH na África Subsaariana.[4]
Os primeiros europeus chegarem ao atual Gabão foram comerciantes portugueses, que chegaram à região no século XV, e deram à região o nome de "gabão" (uma espécie de casaco, cujo formato lembrava o do estuário na foz do rio Komo). A costa gabonesa tornou-se um entreposto de escravos. Logo vieram, no século seguinte, os comerciantes holandeses, britânicos e franceses.
A França assumiu o status de "protetora" do território após assinar tratados com os chefes tribais locais em 1839 e 1841. No ano seguinte, missionários norte-americanos estabeleceram uma missão em Baraka (a atual cidade de Libreville, capital do país) em 1842. Em 1849, os franceses capturaram um navio de escravos e libertaram-nos na embocadura do rio Komo. Os escravos libertos batizaram o assentamento de Libreville (cidade livre, em francês).
Os exploradores franceses penetraram as densas selvas gabonesas entre 1862 e 1887. A França ocupou formalmente o Gabão em 1885 mas só começou efetivamente a administrá-lo em 1903. Em 1910, o Gabão se tornou um dos territórios da África Equatorial Francesa, uma federação que existiu até 1959. Os territórios se tornaram independentes a 17 de agosto de 1960, dando origem à República Centro-Africana, ao Chade, ao Congo-Brazzaville, e ao Gabão.
O primeiro presidente eleito do país foi Leon M'Bá, em 1961. Quando M'Bá morreu, em 1967, foi substituído por Omar Bongo, que governou até sua morte, em 2009, ostentando o recorde de governante há mais tempo no poder em um país africano.

O Gabão situa-se na costa atlântica da África central e tem fronteiras terrestres com a Guiné Equatorial, os Camarões e o Congo e marítimas com São Tomé e Príncipe. Seu clima á tropical. Seu ponto mais alto é o Monte Bengoué, com 1.070 m.

Demografia - Quase toda a população gabonesa, estimada em cerca de 1.208.436 pessoas, é de etnia bantu. O país tem cerca de 40 grupos étnicos com línguas e culturas separadas. O maior de todos estes grupos é o fang. Outros grupos incluem os myene, bandjabi, eshiras, bapounous e okandé.
A língua francesa é a oficial, e é um fator de coesão do país. Mais de 10 mil franceses vivem no Gabão, e as influências culturais e comerciais da França predominam.

Política - Em Março de 1991 foi adoptada uma nova constituição que prevê uma declaração de direitos de estilo ocidental, a criação de um Conselho Nacional de Democracia para supervisionar e garantir esses direitos e um conselho consultivo governamental para assuntos económicos e sociais. Eleições legislativas multipartidárias realizaram-se em 1990-1991, apesar de nessa altura ainda não se ter formalizado a legalização dos partidos da oposição.
O presidente do Gabão, El Hadj Omar Bongo, foi reeleito em Dezembro de 1998 conquistando 66% dos votos. Embora os principais partidos de oposição tenham feito acusações de que as eleições foram manipuladas, não se assistiu à turbulência que se seguiu às eleições de 1993. O presidente mantém vastos poderes, tais como a capacidade de dissolver a Assembleia Nacional, de declarar o estado de sítio, de adiar legislação, de determinar a realização de referendos e de nomear e demitir o primeiro-ministro e os membros do governo.

Subdivisões: Províncias do Gabão
O Gabão está dividido em 9 províncias, dirigida cada uma por um governador, eles mesmos subdivididos em departamentos dependendo de um prefeito e, às vezes, em distritos, dependendo de um sub-prefeito. Alguns Gaboneses apresentam uma brincadeira que a Guiné Equatorial, como a "G10", a décima província do Gabão.

 Economia do Gabão
O Gabão é um país de subsolo muito rico. Ele exporta manganês, petróleo, gás natural, ferro, madeira e outros produtos de seu solo e seu subsolo depois de longos tempos. A exploração das minas de urânio de Mounana, situadas à 90 km de Franceville, e foi interrompido em 2001 devido a chegada no mercado mundial de novos concorrentes. A retomada da exploração de seus importantes depósitos de urânio as notícias da atualidade. O trem de Franceville-Libreville exporta, depois dos anos 1980, o mineral das minas de manganês, de urânio e de ferro situadas em Moanda. Os depósitos de ferro de Bélinga do nordeste de Makokou ainda não são explorados. Sua operação está prevista para algum momento de 2012.
As receitas do petróleo, que tornaram-se importantes à partir dos anos 1970, tem servido parcialmente para modernizar o país e diversifica a economia gabonesa. De fato, para população o único benefício gerado da riqueza do Gabão, de modo que os padrões de vida de muitos gaboneses continua a ser moderado apesar de um PNB por habitante é relativamente elevado. Os hidrocarbonetos representam a metade do PNB.
Cultura

Fiesta de los gaboneses!

cultura gabonesa

BRASIL NO GABÃO!! QUE "BÃO!"


A mídia "especializada" pergunta o que o Brasil foi fazer jogando no Gabão, hoje, dia 10 de novembro de 2011. Respondo: espalhar brasilidade, reverenciar o passado, levar felicidade.


Gabão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
République Gabonaise
República Gabonesa
Bandeira do Gabão
Brasão de armas do Gabão
BandeiraBrasão de Armas
Lema: "Union, Travail, Justice"
("União, Trabalho, Justiça")
Hino nacional"La Concorde" ("A Concórdia")
Gentílico: gabonense, gabonês(a)[1]

Localização  República Gabonesa
CapitalLibreville
0° 23' N 9° 27' E
Cidade mais populosaLibreville
Língua oficialFrancês
GovernoRepública semipresidencialista
 - PresidenteAli Bongo
 - Primeiro-ministroPaul Biyoghé Mba
Independênciada França 
 - Data17 de agosto de 1960(51 anos) 
Área 
 - Total267 668 km² (75.º)
 - Água (%)3,7
 FronteiraGuiné Equatorial,Camarões (N), e República do Congo
(E e S)
População 
 - Estimativa de 20081 485 832 hab. (148.º)
 - Densidade5 hab./km² (194.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2007
 - TotalUS$ : 20,178 bilhões (111.º)
 - Per capitaUS$ : 14 083 (53.º)
Indicadores sociais
 - IDH (2010)0,648 (93.º) – médio[2]
 - Esper. de vida56,7 anos (161.º)
 - Mort. infantil53,8/mil nasc. (140.º)
 - Alfabetização84,0% (111.º)
MoedaFranco CFA (XAF)
Fuso horário(UTC+1)
 - Verão (DST)não observado (UTC+1)
ClimaTropical
Org. internacionaisONUUAOCICEMAC,ZPCASFrancofonia
Cód. ISOGAB
Cód. Internet.ga
Cód. telef.+241
Website governamentalhttp://www.legabon.org/

Mapa  República Gabonesa
Gabão, oficialmente República Gabonesa, é um país africano, limitado a norte pelo território de Rio Muni (Guiné Equatorial) e pelos Camarões, a leste e a sul peloCongo e a oeste pelo Oceano Atlântico e pelo Golfo da Guiné, por onde é vizinho próximo de São Tomé e Príncipe e da ilha de Pagalu (Guiné Equatorial). Anteriormente uma colônia francesa, o Gabão se tornou independente em 1960. A capital e maior cidade é Libreville.[3]
Desde sua independência da França em 17 de agosto de 1960, o Gabão tem sido governado por apenas três presidentes. No início de 1990, o Gabão introduziu uma nova e democrática constituição que permitia a um processo eleitoral transparente. Gabão é também um membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas no período 2010-2011. A pequena densidade populacional, juntamente com abundantes recursos naturais e investimentos privados estrangeiros têm ajudado a fazer do Gabão um dos países mais prósperos da região, com o maior IDH na África Subsaariana.[4]